Antologia

Coletivo 21 lança antologia no Sempre Um Papo, em São Paulo

Coletivo 21 lança, no dia 26 de outubro, no SESC Vila Mariana, em São Paulo, a primeira antologia do grupo.  A noite de autógrafos faz parte da programação do projeto Sempre Um Papo e será precedida de um bate-papo com os escritores Adriano Macedo, Antonio Barreto, Dagmar Braga, Jorge Fernando dos Santos, Luís Giffoni e Malluh Praxedes.

A publicação, que leva o mesmo nome do grupo, Coletivo 21 (Autêntica Editora), foi lançada no dia 9 de setembro, em Belo Horizonte, dentro da programação do Salão do Livro. A obra reúne 33 textos, em prosa e verso, e é dedicada aos escritores Cunha de Leiradella (amigo dos coletivos e que viveu durante mais de duas décadas na capital mineira antes de retornar à terra natal, na Serra do Gerês, norte de Portugal) e Alécio Cunha (1969-2009).

Trata-se de uma proposta diferenciada, um mosaico de contos, crônicas, versos e aforismos, trechos de romance e biografia, além de um texto visual. Dela  participam alguns dos principais escritores da atualidade e novos nomes do cenário literário, integrantes do Coletivo 21, que apresentam sua visão particular sobre os mais variados temas.

A orelha é assinada pelo escritor Luiz Ruffato e a apresentação é feita pela  escritora Vivina de Assis Viana. “A antologia é uma espécie de cartão de visita do grupo, uma vitrine para mostrar ao leitor que os escritores perpetuam, em Minas Gerais, a tradição do fazer literário, sem a presunção de buscar um padrão estético ou de tentar compreender o momento literário”, afirma o jornalista e escritor Adriano Macedo, organizador da antologia e coordenador do grupo Coletivo 21.

Coletivo 21, título mais sintomático que simbólico, carimba as intenções de um grupo de escritores que pretende analisar, discutir e, se possível, apreender – com sensatez e sensibilidade –, dentro e fora dos livros, a insensatez e a insensibilidade que, nos últimos tempos, povoam certos segmentos político/artísticos da sociedade, sobretudo no que se refere à literatura do século 21″, comenta  Vivina de Assis Viana no  prefácio.

Já Luiz Ruffato afirma, na orelha do livro: “esta antologia vem responder, entusiasticamente, que a literatura mineira está mais viva que nunca. O leitor encontrará juntos 23 autores (vários deles já bastante conhecidos nacionalmente), que oferecem o melhor de sua produção em contos, que vão dos curtíssimos aos mais longos (Caio Junqueira Maciel, Neusa Sorrenti, Adriano Macedo, Carlos Herculano Lopes, Duílio Gomes, Luis Giffoni, Ronald Claver, Malluh Praxedes, Branca Maria de Paula, Francisco de Morais Mendes, Jaime Prado Gouvêa, Jeter Neves, Jorge Fernando dos Santos, Ronaldo Guimarães, Ronaldo Simões Coelho e Sergio Fantini), trecho de romance (André Rubião), poemas (Antonio Barreto, Dagmar Braga e Olavo Romano), trecho de biografia (Cristina Agostinho), aforismos (Leo Cunha) e até mesmo em um devaneio gráfico (Cláudio Martins). Ao final da leitura fica a constatação: a tradição de Minas Gerais como sinônimo de literatura de boa qualidade está mantida!”.

Coletivo 21 é formado por autores que, juntos, têm mais de 300 títulos publicados nos mais variados gêneros literários, muitos deles premiados e reconhecidos no Brasil e no exterior.  O primeiro livro do grupo é dedicado ao escritor Cunha de Leiradella, “português mineiro adotivo, companheiro dos coletivos”, e Alécio Cunha, poeta, jornalista, “amigo dos amigos”. A antologia será lançada em outras cidades brasileiras, entre elas São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Serviço
Lançamento da antologia Coletivo 21

Dia: 26/10/2011

Hora: 19h

Local: SESC Vila Mariana