Jaime Prado Gouvêa

"Uma lupa de aumento no mundo de uma criança durante o feriado na roça."

— OS PARDAIS DA FAZENDA DO MEU TIO

Belo Horizonte. Bacharel em Direito pela UFMG. Integrou a geração responsável pelo Suplemento Literário do Minas Gerais em algumas de suas fases mais importantes, entre 1969 e 1986; desde fevereiro de 2009, é o titular da superintendência do jornal. No jornalismo, atuou na redação do Jornal da Tarde, em São Paulo, e na sucursal de O Globo, em BH, entre 1971 e 1973. Estreou em livro com Areia Tornando em Pedra (Oficina, 1970), prosseguindo com Dorinha Dorê (Interlivros, 1975) e Fichas de Vitrola (Guanabara, 1986), que venceu o Prêmio Nacional Guimarães Rosa (1982). Lançou, em 1991, o romance O Altar das Montanhas de Minas, pela Editora Siciliano. Em 2007, a Editora Record lançou sua coletânea Fichas de Vitrola & Outros Contos, livro finalista do Prêmio Jabuti 2008. A mesma casa reeditou seu romance O Altar das Montanhas de Minas, em 2010.

Oferece: participação em debates e mesas-redondas.

Crédito da foto: Branca Maria de Paula