Livro constrói ponte literária entre BH e Rio de Janeiro

O Coletivo 21 está concluindo a construção da sua primeira ponte literária. Trata-se da antologia Prosa na Ponte Rio-BH (inédito), conjunto de contos em que as cidades de Belo Horizonte e do Rio de Janeiro são cenários ou personagens das obras.

Treze autores do Coletivo 21 e o escritor português Cunha de Leiradella (que morou mais de quarenta anos no Brasil, em BH e no RJ, antes de retornar à terra natal, na Serra do Gerês) formam o time de escritores com textos sobre a capital mineira. São eles: Adriano Macedo, Antonio Barreto, Branca Maria de Paula, Caio Junqueira Maciel, Carlos Herculano Lopes, Cláudio Martins, Cunha de Leiradella, Dagmar Braga, Francisco de Morais Mendes, Jeter Neves, Leo Cunha, Luís Giffoni, Ronaldo Guimarães e Sérgio Fantini.

Escrevem sobre o Rio de Janeiro, os escritores Alexandre Brandão, Catarina Pereira, Cristina Zarur, Deonísio da Silva, João Paulo Vaz, Leila Míccolis, Lídia Santos, Marcelo Moutinho, Mariel Reis, Marlene de Lima, Nelson Vasconcelos, Rodrigo Domit, Vário do Andaraí e Sérgio Sant’Anna. Este último participa da antologia com a  o texto A mudança do poeta, uma prosa poética sobre a mudança do autor de Belo Horizonte para o Rio de Janeiro na sua juventude.

“Como o próprio nome sugere, a ideia foi construir a primeira ponte literária do Coletivo 21 com escritores de outra cidade, criando um panorama contemporâneo sobre as cidades em que os autores residem”, informa o jornalista e escritor Adriano Macedo, organizador do livro. E por que o Rio de Janeiro? “Foi um traçado que surgiu naturalmente. Em 2011, ano em que o Coletivo 21 foi criado, estive no Café Lamas, no Flamengo, com um grupo de escritores cariocas e mineiros residentes na cidade, já com a ideia de desenvolver algum projeto em conjunto”, explica Adriano Macedo.

Ainda em 2011, o grupo lançou sua primeira antologia, Coletivo 21 (Autêntica Editora), selecionada pelo Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE 2012). A segunda, Adolescência & Cia (Editora Miguilim), foi organizada pelo jornalista e escritor Jorge Fernando dos Santos e publicada no ano seguinte. A terceira, Poemas para cantar e dançar (inédita), foi organizada pelos escritores Leo Cunha e Neusa Sorrenti.

 

Compartilhar este!

Assine nosso feed RSS. Tweet isso! StumbleUpon Reddit Digg isso! Bookmark on Delicious Compartilhe no Facebook

Deixe uma resposta

*

*

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *